Compreensão.

- A sabedoria de um ser humano não é definida pelo quanto ele sabe, mas pelo quanto ele tem consciência de que nada sabe...

Nossa existência é permeada por métodos, normas e rotinas as quais nos submetemos para fazer parte de um contexto maior - a sociedade. Sociedade esta que execra aqueles que teimam em mostrar algo significativo, os que priorizam o sentir ao ter, os que são ricos de espírito - marginalizando os sentimentos sinceros e valorizando, cada vez mais, as atitudes e comportamentos levianos. A inversão de sentidos torna-se mais e mais evidente aos olhos daqueles que procuram manter a essência intacta - o mal é instigado, desejado e o bem, corrompido. Não levanto a bandeira do "eu sei sentir", mas tento sentir sem intervenção do ambiente externo, procuro observar tudo sob a ótica de uma criança, cujo sentir ainda não foi anestesiado pela superficialidade na qual nos encontramos imersos. Parafraseando Saint-Exupéry - o invisível é essencial aos olhos - ouso complementar - mas pode ser sentido pela alma.

1 personagens:

Roberto Borati disse...

ei, rafaella b. !

obrigado sempre e que tenha uma semana ótima, cheia de compreensões e sentidos.

beijos, beijos!

Postar um comentário